Cruzeiro

De Odivelas para o Mundo

Faixa Atual

Título

Artista

Atual

Cruzeiro da Noite

02:00 08:00

Atual

Cruzeiro da Noite

02:00 08:00


CONCELHO DE ODIVELAS VAI FAZER 20 ANOS

Escrito por em Novembro 10, 2018

Numa altura em que se aproxima a data em que o Município de Odivelas assinala os seus primeiros vinte anos de existência, a RÁDIO CRUZEIRO publica, com a devida e prévia autorização as memórias de Jorge Mendes, um dos impulsionadores da criação do novo município.

Aproveitamos, desde já, para alertar que Jorge Mendes e José Barão das Neves vão estar na próxima edição do programa “Espaço Entrevista”, com edição de Bruno Lourenço, no próximo sábado, depois das notícias das 10.00 horas, em direto, para partilharem e comentarem estas e outras memórias que levaram à criação do Município de Odivelas.

Um político que nunca foi de carreira e não percebia o porquê do boicote constante de alguns eleitos em Loures em relação a Odivelas. ( que ingenuo ). A solução era sair de “casa”. E em Março de 96 convidei alguns amigos para a criação do MOC ( Movimento de Odivelas a Concelho ). Os primeiros foram C.Lerias e Vitor Peixoto,seguiram outros simpatizantes ou militantes dos partidos com acento na Assembleia da República

Ao fim de vinte anos está na hora de contar a história da criação do Concelho de Odivelas. Com o apoio do então jornal Vento Novo e outros órgãos da c.social local e nacional e ainda com a colaboração de outros cromos como eu. Se não gostar peço desde já desculpa,juro que não é para”chatear”, ou então parafraseando um amigo que por lá andou ” temos pena”

.Em Março de 1996 realizou-se no Pavilhão Polivalente de Odivelas a primeira reunião do MOC.
Estiveram presentes os “conspiradores”, V.Peixoto,Edgar Valles, José Amandio, Luis Rodrigues, Celestino, Rosa Mendes, eu, Armando Ramalho e J. Mário Figueira. Vitor Peixoto fez o historial das anteriores tentativas de criação do município e depois decidiu retirar-se porque entendia pelo facto de ser presidente da junta, caso aparecesse publicamente as represálias seriam maiores.

Seguiram muitas mais reuniões quinzenais e foram convidados outros membros entre os quais José Tudela, ex colega do Carlos Lerias na RTP. Mais tarde escolhido para presidente em virtude de eu ter recusado o cargo por desempenhar na altura funções na junta de freguesia, aliás, coloquei a hipótese de não integrar os órgãos sociais. O Edgar Valles manifestou-se contra e acabei por aceitar a vice presidência. Já em laboração o movimento criou um documento de trabalho que servisse de pre-projecto de criação do Município de Odivelas Este documento foi elaborado por, Edmundo Assunção,Maria Helena Morgado e Oliveira Dias.

Em 14 de março de 1997 foi constituído notoriamente o M.O.C. cujo objetivo principal era pugnar pela criação do Município de Odivelas. Os outorgantes foram: Edgar Valles, Rosa Mendes, Horácio Barraleiro, Jorge Mendes, José Batista, Oliveira Dias, António Gonçalves, António Nunes, José Damas, José Tudela, Fátima Nunes, Helena Morgado, João Caratao , João Mario, Carlos Lerias, Edmundo Assunção e Vitor Machado. A sede passa a ser numas instalações gentilmente cedidas pelo Dr. Pires Manteigas

.Se me permitem, não posso deixar de homenagear dois intervenientes neste “teatro” que foram Manuela Ferreira distinta jornalista da Lusa, que sempre me apoiou na divulgação da nossa mensagem e Adão Barata posterior presidente da Camara .Municipal de Loures que se fosse presidente em 1996 hoje não teríamos o Concelho de Odivelas, não teria sido necessário porque sempre foi um homem de diálogo. Sinto-me feliz por ter sido amigo dos dois independentemente das cores políticas.

As idas à Assembleia da República tornou-se uma rotina, já tinha os acessos franqueados.
Independentemente de não haver técnicos para a criação de municípios, sempre tive a sorte de aparecer nas alturas certas, eu e o Barão das Neves que se juntou à causa muitas vezes colocando a sua atividade profissional em causa. Nesta fase éramos sempre os mesmos na A.R. não é verdade B.das Neves? Valeu a pena.

Considerando o bastante material que tenho aproveito para desenvolver o tema e homenagear um grande senhor da comunicação social local da altura que se chamava Humberto de Matos e o seu jornal Vento Novo e os seus colaboradores nomeadamente Carlos Cardoso. Um dia recebi na junta de freguesia de Odivelas, sede oficiosa do M.O.C  e aproveito para homenagear também Fátima Nunes a minha secretaria que muito ajudou esta causa, um telefonema do líder do Movimento de Esmoriz a Concelho, Florindo Pinto. Convidou-me a integrar o M.O.C. numa associação em embrião a Pró-Municipalis onde posteriormente exercemos a presidência da A.Geral. A Pró-Municipalis agrupava as doze cidades que pretendiam ser concelho: Esmoriz, Amora, Ermesinde, Trofa, Rio Tinto, Lixa, Fátima, Alverca, Queluz, Odivelas e Sacavém.

Jorge Mendes

(continua)

 

 

 

Marcado como