Cruzeiro

De Odivelas para o Mundo

Current track

Title

Artist

Current show

Current show


CDS ODIVELAS ENTENDE SER PREMATURO E PERIGOSO A ABERTURA DAS FEIRAS DA ARROJA E DO SILVADO

Written by on Junho 1, 2020

A Comissão Política Concelhia de Odivelas do CDS-PP considera que, face ao agravamento da situação epidemiológica na Região de Lisboa e Vale do Tejo e muito em particular no seio da Área Metropolitana de Lisboa nos Concelhos de Loures e de Odivelas ao longo desta semana, a abertura das duas maiores Feiras de Odivelas- Feira da Arroja, já a partir de dia 30 de Maio, e Feira do Silvado, já a partir de 1 de Junho- por parte da Junta de Freguesia de Odivelas revela uma absoluta inconsciência face à real situação epidemiológica vivida no Concelho de Odivelas.
O CDS entende ser uma decisão pouco ajuizada face à grave crise epidemiológica na Área Metropolitana de Lisboa que se encontra no pico de um surto epidémico, somando um total de 4.400 infetados no Distrito de Lisboa, o que representa 37% do número total de infetados no País (11.652).
 
O CDS recorda que «segundo o Relatório da situação N.º 088 da DGS de ontem, 29.05.2020, Odivelas regista à data de hoje 522 Casos confirmados da Covid-19 e que de acordo com o décalage obtido face aos últimos dados obtidos junto do Delegado de Saúde de Loures e de Odivelas prevê-se que no nosso Concelho existam em números absolutos pelo menos 633 Casos confirmados da Covid-19, sendo exatamente perante este cenário evidentemente preocupante para todos os odivelenses que a Junta de Freguesia de Odivelas decidiu pela reabertura das Feiras da Arroja e do Silvado. Para maior clareza expositiva, no decurso da presente semana- entre 25 e 29 de Maio (dado que a DGS ainda não disponibilizou o Relatório da situação do dia de hoje) Odivelas registou um crescimento de 69 Casos confirmados em apenas 4 dias após a 2ª fase do desconfinamento no nosso Concelho».
 
Face à decisão de abertura das Feiras de Odivelas, o CDS lamenta que «o Plano de Contingência Covid-19- Feiras de Odivelas da JF Odivelas disponível seja omisso quanto ao número máximo de pessoas a ocupar cada recinto durante os horários reduzidos de abertura das Feiras, designadamente no caso da Feira da Arroja entre 7h30 e 13h (Sábados) e no7h30 e no caso da Feira do Silvado entre 7h30 e 14h (2ª feiras)».
 
Acrescenta ainda no comunicado que, «para além dos factos acima elencados, o Primeiro- Ministro em comunicado ao País sobre a retoma da normalidade possível a partir de 1 de Junho mostrou-se manifestamente preocupado relativamente à situação epidemiológica na Área Metropolitana de Lisboa, aquela com maior crescimento do n.º casos a nível nacional, anunciando expressamente medidas específicas para esta zona do País entre as quais destacamos a manutenção do encerramento dos Centros Comerciais e das Lojas do Cidadão até ao próximo dia 4 de Junho, assim como o proibição de todos os ajuntamentos de mais de 10 pessoas em espaços públicos apenas no Distrito de Lisboa. Entrando estas medidas preventivas da propagação da Pandemia só a partir de 1 de Junho, encontramo-nos perante uma lacuna normativa, ou seja, as feiras poderão realizar-se até dia 1 Junho exclusive mas já não depois dessa data, pelo que consideramos que a JF Odivelas deverá voltar atrás urgentemente com a sua decisão de reabertura destes dois certames os quais previsivelmente se deverão realizar nos próximos dias 30 de Maio (Feira da Arroja) e 1 de Junho (Feira do Silvado), tal decisão minimizaria obviamente o impacto da Covid-19 no Concelho, sobretudo entre os visitantes/ clientes mais assíduos destes recintos que habitualmente são pessoas idosas, ou seja, integram um grupo de risco, sob pena da própria JF Odivelas poder vir a ser politicamente responsabilizada pelo crescimento do número de Casos confirmados da Covid-19 em Odivelas nas próximas semanas no mês de Junho em virtude da manutenção desta decisão».
 
Por último, a concelhia do CDS Odivelas dirige uma mensagem especialmente destinada aos feirantes que habitualmente expõem nestas Feiras de Odivelas, manifestando-se solidário com a situação provisória da suspensão da atividade comercial em virtude da Pandemia e com a urgência de obtenção de rendimentos, «mas pensamos ser ainda prematuro o regresso às tradicionais feiras já no final do mês de Maio e mesmo no início de Junho, considerando, pelo contrário, ser mais justo e equitativo para os comerciantes a aplicação da isenção total da taxa mensal de utilização dos espaços nas Feiras de Odivelas até à retoma integral da atividade feirante, ao abrigo do regime de isenções previsto no Regulamento e Tabela Geral de Taxas da freguesia de Odivelas 2020».